Bactéria tóxica é encontrada no rio São Francisco

Notícias | 25.05.15 | 1 Comentário

Bactéria tóxica é encontrada no rio São Francisco

Uma mancha de 28 quilômetros de extensão por sete metros de profundidade no rio São Francisco, entre Bahia, Alagoas e Sergipe, na qual foi detectada alta densidade de cianobactérias tóxicas, faz disparar o alerta em toda a extensão do Velho Chico.

A informação foi divulgada no último dia 21/05/2015, durante a 27ª Plenária do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), em Petrolina (PE), pelo representante do Ibama, Célio Costa Pinto

O representante do Ibama na plenária do comitê de bacia, Célio Pinto, diz que a situação é preocupante nos locais onde o nível do rio pode cair muito. Ele alerta também para as manobras de redução de vazão, como tem sido reivindicado pelos operadores de barragens.

Em relação à mancha tóxica detectada entre Paulo Afonso e Xingó, o secretário do Comitê da Bacia do São Francisco, Maciel Oliveira, destaca que no momento a grande preocupação é com o abastecimento humano. “Alertamos os órgãos de meio ambiente e concessionárias de distribuição de água de Alagoas, Sergipe e Pernambuco para que façam acompanhamento, inclusive da água tratada. Foi encontrada no rio a alga que produz toxinas e provoca problemas de saúde.”

Cianobactérias

São micro-organismos com estrutura que corresponde à célula de uma bactéria, mas realizam fotossíntese. Algumas espécies são fixadoras de nitrogênio atmosférico e outras, produtoras de hepatoxinas ou neurotoxinas. Uma grande flexibilidade a adaptações bioquímicas, fisiológicas, genéticas e reprodutivas garantiu a esses organismos  distribuição em diversos ambientes, tanto terrestres quanto aquáticos (rios, estuários e mares).

As espécies que produzem e liberam substâncias tóxicas podem provocar envenenamento de outros animais que dividem o mesmo ambiente, atingindo toda a cadeia alimentar, ou contaminar a água potável,

,provocando doenças em seres humanos. Muitos dos elementos prejudiciais que produzem não podem ser eliminados pelo processo de fervura da água nem por  métodos tradicionais usados em estações de tratamento.

Assista matéria veiculada na edição do Jornal Hoje, Rede Globo, na última quinta-feira, 21/05. Tópico “Risco”

Com informações do Jornal Estado de Minas

1 Comentário

O que está sendo feito por parte de dos envolvidos, para que chegue ao conhecimento das pessoas em geral do que realmente está acontecendo no Rio São Francisco? porque não só basta campanha de racionamento de água e sim um alerta aos governantes da atual situação, transposição com redução de vazão,é o fim de muitas vidas,juntamente com o velho chico.

Paulo dos Anjos

25/09/2015

Deixe seu Comentário

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.