ONU alerta para crise mundial de água

DESTAQUE | 26.03.15 | Nenhum Comentário

ONU alerta para crise mundial de água e ANA divulga Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil

Até 2030, o planeta enfrentará um déficit de água de 40%, a menos que seja melhorada dramaticamente a gestão desse recurso precioso.

Essa é a conclusão inevitável do Relatório das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento de Água 2015 – Água para um mundo sustentável, lançado em 20 de março em nova Deli (Índia), em celebração ao Dia Mundial da Água (22 de março).

O Relatório é publicado pelo Programa Mundial de Avaliação dos Recursos Hídricos (World Water Assessment Programme, em inglês), liderado pela UNESCO por meio da UN-Water (mecanismo interagencial das Nações Unidas para assuntos relacionados à água e questões de saneamento).

O Relatório enfatiza a necessidade urgente de mudar a forma como nós usamos e gerenciamos esse recurso vital, no momento em que as Nações Unidas preparam a adoção de novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

“Os recursos hídricos são um elemento-chave nas políticas de combate à pobreza, mas por vezes são ameaçados pelo próprio desenvolvimento. A água influencia diretamente o nosso futuro, logo, precisamos mudar a forma como avaliamos, gerenciamos e usamos esse recurso, em face da sempre crescente demanda e da superexploração de nossas reservas subterrâneas. Esse é o apelo feito pela edição mais recente do Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento de Recursos Hídricos. As observações do Relatório são oportunas, porque a comunidade internacional precisa elaborar um novo programa de desenvolvimento para substituir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio”, diz a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova. 

“Já existe um consenso internacional de que água e saneamento são essenciais para que muitos dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio sejam atingidos. Eles estão indissoluvelmente ligados a questões como mudança climática, agricultura, segurança alimentar, saúde, energia, equidade, questão de gênero e educação. Agora, devemos olhar para a frente, com vistas à mensurabilidade, ao monitoramento e à implementação”, diz Michel Jarraud, presidente da UN-Water e secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial.

Apesar do progresso considerável que tem sido realizado recentemente, 748 milhões de pessoas ainda não têm acesso a fontes de água potável de qualidade. E aqueles mais afetados são as pessoas de baixa renda, os desfavorecidos e as mulheres. Ao mesmo tempo, o planeta nunca esteve tão sedento

Caso não haja uma mudança dramática no uso, gerenciamento e compartilhamento do recurso, o mundo enfrentará um déficit de 40% no abastecimento de água em 2030

Enquanto isso, no Brasil, Agência Nacional de Águas (ANA) divulgou o Conjuntura 2014, revelando que 16,4 mil quilômetros dos cerca de 105 mil de rios federais no Brasil são considerados de especial interesse para gestão, seja do ponto de vista quantitativo ou qualitativo, o que equivale a 16%, e que a maior parte do país encontra-se em condição satisfatória quanto à quantidade e à qualidade de água.

A Região Nordeste possui muitos rios classificados com criticidade quantitativa devido à baixa disponibilidade hídrica

e, no Sul, muitos rios possuem criticidade quantitativa por causa da grande demanda para irrigação .

Apesar de o Brasil possuir 13% da água doce disponível do planeta, a distribuição é desigual, pois 81% estão concentrados na Região Hidrográfica Amazônica, onde está o menor contingente populacional, cerca de 5% da população brasileira, e a menor demanda. Nas regiões hidrográficas banhadas pelo Oceano Atlântico, que concentram 45,5% da população do país, estão disponíveis apenas 2,7% dos recursos hídricos do Brasil . Na análise do Índice de Qualidade da Água (IQA), considerando os 1.039 pontos de monitoramento no campo , 82% têm qualidade considerada boa, 9% ótima, 6% ruim e 3% regular. Para os 530 pontos em cidades, a qualidade foi considerada boa em 48% deles, regular em 23%, ruim em 21%, ótima em 4% e péssima em 4%.

Neste ano, o Conjuntura trouxe um Encarte Especial sobre a Crise Hídrica, com um panorama da seca no Brasil desde 2012.

CLIQUE NOS LINKS PARA ACESSO AOS RELATÓRIOS

Sumário executivo do relatório ONU

Versão completa do relatório ONU (somente em inglês)

Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil, ANA.

Crise Hídrica, ANA

FONTES : ONU e ANA

Deixe seu Comentário

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.