Grupo Acqua participa do Programa Preservando Nascentes e Municípios

Notícias | 12.12.12 | Nenhum Comentário

Grupo Acqua participa do Programa Preservando Nascentes e Municípios

A iniciativa, que promoveu a restauração florestal de nascentes e matas ciliares das sub-bacias dos rios Poxim, Cajueiros dos Veados e Siriri-Vivo é fruto da execução do Programa Preservando Nascentes e Municípios, que resultou em um investimento de cerca de R$ 2,5 milhões.

O Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) anunciou na manhã desta quarta-feira, 12, em solenidade no auditório da Sociedade Semear, o plantio de exatas 12.941 mudas de espécies nativas da Mata Atlântica nos municípios de Areia Branca, Itaporanga D’Ajuda, São Cristóvão, Malhador, Siriri e Nossa Senhora das Dores no período de três anos, entre 2010 a 2012. 

O sucesso da iniciativa, a qual assegurou a preservação dos cursos d’água com cercamento de áreas prioritárias para a recuperação ambiental, teve solenidade aberta pelo secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Genival Nunes.  As  ações do Preservando Nascentes e Municípios são coordenadas pela própria Semarh, e executadas, via contratação, pela Sociedade Semear em parceria com a Universidade Federal de Sergipe.

Participaram da apresentação dos Resultados da Execução do Programa Preservando Nascentes e Municípios-período de 03 anos, e ainda em seguida, da Posse dos Membros dos Comitês de Bacias Hidrográficas do Rio Sergipe, Piauí e Japaratuba, e dos Membros do Conselho de Recursos Hídricos de Sergipe, o professor representante da Universidade Federal de Sergipe e líder do Grupo Acqua, Dr. Antenor Aguiar,o promotor do Ministério Público e pesquisador do Grupo Acqua, Eduardo Matos, a professora representante da Universidade Tiradentes, Ester Villas Boas,  os presidentes dos comitês de bacias hidrográficas do Estado, Luis Carlos Sousa (Piauí), Rosa Cecília (Japaratuba), e Manoel Messias(Sergipe); o presidente da Semear, Carlos Brito, os superintendentes da Semarh, Valdineide Santana e Ailton Rocha, e o professor representante do Instituto Federal de Sergipe, Lício Valério Lima.

De acordo com os números apresentados , somente no Poxim foi recuperada área de 12,9235 hectares, no Cajueiro dos Veados, 3,9824 hectares, e no Siriri-Vivo, exatos 1,2829  hectares. No Poxim, o maior número de propriedades contempladas com ações de restauração estão situadas na região do alto curso do rio, caracterizadas como de agricultura familiar, tendo como principais usos a pecuária extensiva e o cultivo de lavouras temporárias (mandioca e hortaliças).  

Na região do médio curso do rio, as propriedades são de médio porte e o principal uso do solo é a pastagem e a pecuária extensiva, sendo que o cultivo de cana-de-açúcar também foi encontrado em uma propriedade. Já no Cajueiro dos veados, as propriedades são caracterizadas como de agricultura familiar, onde a pastagem foi o principal uso do solo encontrado nas áreas que sofreram ações de restauração florestal. No Siriri-vivo, em todas as propriedades que foram realizadas ações de restauração os usos do solo encontrados foram a pecuária extensiva e a pastagem.

Para garantir a manutenção das áreas em processo de recuperação ambiental a SEMARH desenvolverá ações rotineiras de monitoramento e manutenção das áreas plantadas, utilizando recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FUNERH), porem contando com o compromisso dos proprietários beneficiados, ou seja, os legítimos produtores de águas.

Fonte : SEMARH-SE
Imagens: Valéria Lima -ASCOM SEMARH-SE

Deixe seu Comentário

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.