Estudo revela impacto negativo nos recursos hA�dricos da Bahia

Notícias | 16.11.12 | Nenhum Comentário

Estudo revela impacto negativo nos recursos hA�dricos da Bahia

Um estudo minucioso iniciado hA? seis anos A�em 140 rios e 374 outros corpos da��A?gua traA�a um diagnA?stico sombrio na rede hidrogrA?fica que corta todas as regiA�es da Bahia.

As ligaA�A�es de esgoto clandestinas, a ocupaA�A?o desordenada do solo, o desmatamento das bacias, a coleta irregular do lixo e a poluiA�A?o estA?o provocando alteraA�A�es no volume dos rios, lagos e reservatA?rios, contaminando os aquA�feros, degradando os mananciais e causando impactos negativos na qualidade e quantidade dos recursos hA�dricos.

Os dois rios que tA?m a pior qualidade de A?gua da Bahia estA?o localizados na RegiA?o Metropolitana de Salvador: Camarajipe (capital) e CamaA�ari, que atravessa a cidade mais industrial do estado. O rio Camarajipe impressiona pela poluiA�A?o. Duas amostras coletadas em pontos diferentes apresentam o mesmo resultado: A?gua de pA�ssima qualidade. No outro extremo, CamaA�ari tambA�m possui o rio (Capivara) com a melhor qualidade de A?gua da Bahia. Outros rios com qualidade excelente de A?gua sA?o ImbassaA� (Mata de SA?o JoA?o) e Gritador (PiatA?).

a�?O grande problema A� que a velocidade da ocupaA�A?o territorial A� muito maior do que a capacidade que os governos (federal, estadual e municipal) tA?m de investir em saneamento e em outras obras de infraestruturaa�?, disse o engenheiro Eduardo TopA?zio, coordenador do sistema de monitoramento do Instituto do Meio Ambiente e Recursos HA�dricos (Inema).

De acordo com TopA?zio, a Bahia deve chegar em 2015 monitorando 566 pontos, cumprindo a meta do governo federal, que definiu as bacias hidrogrA?ficas como unidades territoriais de estudos. a�?O projeto inicial prevA? um ponto monitorado a cada mil quilA?metro quadradoa�?, afirmou.A�O monitoramento nA?o inclui praias, lagoas e A?guas subterrA?neas.

a�?O que temos de concreto A� que precisamos entender que o uso econA?mico e racional da A?gua A� essencial para garantir o abastecimento A�s prA?ximas geraA�A�esa�?, disse o secretA?rio estadual do Meio Ambiente, EugA?nio Spengler. O secretA?rio cita dados da ONU para defender sua opiniA?o. Segundo a OrganizaA�A?o das NaA�A�es Unidas, a quantidade de A?gua doce produzida por seu ciclo natural A� praticamente a mesma de 1950, quando o consumo era bem menor. Mesmo com 75% da superfA�cie da terra coberta por A?gua, os especialistas tA?m razA?o quando dizem que as prA?ximas geraA�A�es poderA?o enfrentar muitos problemas em relaA�A?o ao abastecimento de A?gua.

a�?A maior parte desse volume A� de A?gua salgada, imprA?pria para a produA�A?o de alimentos e consumo humano. A� evidente que existem muitas tA�cnicas para transformar a qualidade da A?gua, mas os custos, por enquanto, sA?o muito elevadosa�?, disse Eduardo TopA?zio. Dados da ONU revelam que a quantidade de A?gua doce disponA�vel A� muito pequena: menos de 3% do total existente no planeta.

Eduardo TopA?zio disse que os maiores problemas em relaA�A?o A� contaminaA�A?o das A?guas acontecem quando os rios passam dentro das cidades. a�?O rio Cachoeira, por exemplo, quando atravessa Itabuna, piora as suas condiA�A�es por causa da coleta irregular de lixo, falta de educaA�A?o da populaA�A?o, que joga objetos em seu curso e, ainda, pelo esgoto a cA�u aberto que A� despejado em suas A?guasa�?.

Fonte: Jornal Correio da Bahia

Deixe seu Comentário

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.