Cartilha Uso Agrotóxico

Notícias | 12.01.12 | Nenhum Comentário

Sergipe lança cartilhas sobre uso de agrotóxicos e métodos alternativos de controle de pragas e doenças

Intitulada “Racionalização do Uso de Agrotóxicos – Controle de Pragas e Doenças em Hortaliças Irrigadas”, uma das cartilhas foi produzida pelo engenheiro agrônomo Remi Bastos, responsável pela área de fitossanidade da Cohidro. O especialista desenvolveu um material com 120 páginas ilustradas que trazem informações sobre as principais pragas e doenças que afetam hortaliças como alface, a cebola, o pimentão, o quiabo e o tomate.

“Nos perímetros irrigados da Cohidro, a ocorrência de insetos, pragas e patógenos nas hortaliças tornou-se um desafio constante para os técnicos e produtores. Com esta cartilha, a ideia é atender a engenheiros agrônomos, técnicos agrícolas e agricultores familiares no que diz respeito ao uso racional e consciente do agrotóxico de classe toxicológica mediana e pouco tóxica ao homem, com o objetivo de melhorar a produtividade e a qualidade dos cultivos explorados”, observa Remi Bastos.

Com tiragem inicial de 1.000 exemplares, através da parceria com o Sebrae, o BNDES e a FBB, a cartilha tende a estimular a produção orgânica nos perímetros irrigados. “Quando uma praga ataca uma planta ou plantação como um todo, isso indica que houve erro nos métodos de cultivo. O uso de agrotóxicos nem sempre é a forma mais indicada para controlar pragas e doenças, principalmente em pequenas áreas como é o caso dos nossos perímetros públicos. Portanto, é urgente a introdução de modos de produção sustentáveis para que o solo continue produzindo ao longo dos anos”, alerta Sônia Loureiro do SEBRAE/SE

O Sebrae, parceiro da Cohidro neste e em outros projetos, vai utilizar a cartilhas de produtos alternativos na capacitação dos agricultores beneficiados com a tecnologia social PAIS – Produção Agroecológica Integrada e Sustentável. No ano passado, foram instalados 100 kits dos programas nos perímetros irrigados administrados pela Companhia, totalizando um investimento de R$ 500 mil.

“Já estávamos pensando em criar um material como este para utilizar nas capacitações do PAIS. Como a nossa parceira Cohidro já havia elaborado esse projeto, coube ao Sebrae a disponibilização dos recursos oriundos da fundação BB e BNDES para a impressão deste material informativo. A cartilha vai funcionar como uma ferramenta de fortalecimento do PAIS, mostrando que a agricultura orgânica é perfeitamente viável”, destaca a gestora do Sebrae, Adriana Cunha Vaz.

O presidente da COHIDRO, Mardoqueu Bodano, destaca as atividades do programa de Racionalização do Uso de Agrotóxicos e Introdução à Agroecologia promovidas pela Cohidro. Entre os resultados dessas ações, foi constatada a redução do uso de substâncias com maior nível toxicológico nos perímetros irrigados, de 32% para 27%, entre 2009 e 2010. O saldo mostra claramente a mudança de pensamento do trabalhador rural assistido pela Companhia.

Fonte e Imagens: ASCOM / COHIDRO

Deixe seu Comentário

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.