Saneamento

Notícias | 21.10.11 | Nenhum Comentário

Brasil recolhe 60% do esgoto que produz, mas trata apenas 20%

Com mais de trA?s mil pA?ginas, a ediA�A?o do Atlas Soci-A?gua 2011 foi lanA�ada ontem, 20 de outubro.

O Brasil A� um paA�s que avanA�a, mas ainda vem apresentando lentidA?o nas melhorias dos seus indicadores sociais, principalmente na A?rea de saneamento e de aproveitamento de recursos hA�dricos. A conclusA?o estA? em um estudo encomendado pelo MinistA�rio da CiA?ncia, Tecnologia e InovaA�A?o. A pesquisa apurou que a rede de distribuiA�A?o de A?gua canalizada jA? atinge 82% da populaA�A?o brasileira – A�ndice que chega a mais de 90% na RegiA?o Sudeste. Constata ainda que os A�ndices de coleta de esgoto melhoraram bastante nos A?ltimos anos, atingindo hoje mais de 60% da populaA�A?o, embora apenas 20% do que A� recolhido sejam tratados adequadamente.

O estudo, com mais de trA?s mil pA?ginas, foi desenvolvido pelo Instituto Virtual Internacional de MudanA�as Globais (Ivig) e pela CoordenaA�A?o dos Programas de PA?s-GraduaA�A?o de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ), em parceria com a FundaA�A?o Getulio Vargas (FGV). A�A publicaA�A?o A� uma versA?o atualizada do banco de dados sobre saneamento e saA?de, irrigaA�A?o para a produA�A?o de alimentos e a produA�A?o de energia em usinas hidrelA�tricas no PaA�s.

Em entrevista A� AgA?ncia Brasil, o coordenador do estudo, o professor da UFRJ Marcos Freitas, destaca o fato de que, apesar dos avanA�os, o PaA�s tem como melhorar o aproveitamento dos recursos atualmente direcionados A� resoluA�A?o de problemas referentes A� A?gua. “HA? a necessidade de melhor aproveitamento e utilizaA�A?o da A?gua da chuva, de estimulo A� reciclagem da A?gua, a um melhor tratamento do esgoto. A utilizaA�A?o dos lagos formados pelas grandes barragens que podem, por exemplo, ser aproveitados como A?reas de lazer, de desenvolvimento da apicultura.”

Ao falar dos lagos formados pelas grandes hidrelA�tricas construA�das no PaA�s, por exemplo, o professor defendeu a necessidade de identificar os gargalos tecnolA?gicos, decorrentes dessas grandes obras. “As hidrelA�tricas acabam se tornando desertos demogrA?ficos. VocA? tem uma movimentaA�A?o populacional muito grande durante a fase de construA�A?o das usinas, mas quando elas comeA�am a funcionar o nA?mero de pessoas trabalhando nelas A� muito pouco.”

Para ele, A� necessA?rio haver melhor reutilizaA�A?o dos lagos para uso mA?ltiplo das A?guas. “A criaA�A?o do que eu chamo de grandes desertos demogrA?ficos se dA? pela absoluta falta de condiA�A�es tA�cnicas ou estruturais da populaA�A?o para aproveitar os lagos para o desenvolvimento do lazer ou mesmo da pesca e da navegaA�A?o. A� por isso que defendo a criaA�A?o de escolas tA�cnicas federais e estaduais nas proximidades dos lagos das hidrelA�tricas: seria muito proveitoso na melhoria da capacitaA�A?o das populaA�A�es e viabilizaria a criaA�A?o de polos de desenvolvimento vinculados A�s hidrelA�tricas.”

O atlas reA?ne um extenso levantamento sobre o aproveitamento hA�drico no paA�s e das necessidades de buscar soluA�A�es diferenciadas para as populaA�A�es das periferias e das zonas rurais. A publicaA�A?o mostra, por exemplo, que existem atualmente cerca de 4 milhA�es de A?reas irrigadas no Brasil, menos de 3% da A?rea plantada no paA�s, o que “A� baixo em relaA�A?o A� mA�dia mundial de 20%”.

A primeira ediA�A?o do atlas foi lanA�ada em 2009 como resultado de um trabalho de trA?s anos de pesquisa, que cruzou dados a respeito dos temas abordados com informaA�A�es sobre educaA�A?o, trabalho e rendimento, domicA�lios, famA�lias e outros aspectos demogrA?ficos.

(AgA?ncia Brasil)

Deixe seu Comentário

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.